Goioerê, quarta-feira, 24 de abril de 2024 ESCOLHA SUA CIDADE

Paraná

16/01/2024

Com mercado de caminhões em alta, Paraná alcança novas marcas expressivas no setor

Com mercado de caminhões em alta, Paraná alcança novas marcas expressivas no setor

Em 2023, quase 12 mil novos caminhões foram licenciados no Paraná, segundo a Fenabrave. O número equivale a 9,58% de todos os veículos pesados deste segmento no Brasil, que totalizaram 104 mil no mesmo período. Esse resultado é fruto do protagonismo de empresas deste segmento, que apostam em tecnologia e sustentabilidade.

Em 2023, quase 12 mil novos caminhões foram licenciados no Paraná, segundo a Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave), entidade que representa o setor. O número equivale a 9,58% de todos os veículos pesados deste segmento no Brasil, que totalizaram 104 mil no mesmo período. O volume do Estado é o maior da região Sul do País, à frente de Santa Catarina, que registrou 9,3 mil licenciamentos de caminhões em 2023, e Rio Grande do Sul, com aproximadamente 8,3 mil.

Esse resultado é fruto do protagonismo de empresas deste segmento: a sueca Volvo, cuja fábrica de caminhões está localizada em Curitiba, e a holandesa DAF, que produz a partir de sua fábrica em Ponta Grossa, nos Campos Gerais, tiveram um ano de grandes números. As empresas também estão buscando cada vez mais sustentabilidade na cadeia, a exemplo da Scania, que tem parcerias "verdes" com a Compagas e o Grupo Potencial, também instalado no Paraná, com o lançamento de um caminhão movido a biodiesel.

Em 2023, a DAF Caminhões cresceu 22,8% em número de veículos licenciados, após investir quase R$ 400 milhões nos últimos anos. Segundo o diretor comercial da empresa no Brasil, Luis Gambim, o resultado foi possível graças a uma estratégia de antecipação da adaptação dos novos veículos a serem comercializados dentro de um novo padrão de emissão de poluentes.

“A nossa estratégia de antecipar, em 2020, a adaptação dos caminhões Euro 5 à tecnologia do Euro 6, nos permitiu estar um passo à frente no final de 2022, apresentando caminhões Euro 6 prontos para comercialização, já testados e aprovados pelos nossos clientes. Por isso, em 2023, nós crescemos 22,8%, o que reflete o reconhecimento do mercado brasileiro aos nossos veículos e a confiança dos nossos clientes”, afirma. 

O Euro 6 é o sistema que agrega um conjunto de novas regras sobre emissão de poluentes para motores a diesel que passaram a ser exigidas pelo Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama) a partir de janeiro de 2023, substituindo o Euro 5. A mudança estabeleceu uma redução de 72% na emissão de hidrocarbonetos e de 80% na emissão de óxido de nitrogênio. No Brasil, o Euro 6 também é conhecido como a oitava fase do Programa de Controle da Poluição do Ar por Veículos Automotores (Proconve).

De R$ 1,8 mil a R$ 2,1 mil: Paraná seguirá com maior Piso Regional do País em 2024

Atividade industrial do Paraná alcançou em 2023 o maior patamar desde janeiro de 2012

A planta paranaense da Volvo tem o veículo mais vendido de 2023. De acordo com o ranking de licenciamento da Fenabrave, o Volvo FH 540, fabricado em Curitiba, foi o mais comercializado do Brasil com 5.803 unidades licenciadas. A empresa anunciou um investimento de quase R$ 900 milhões na planta no final de 2022. “Os transportadores seguem valorizando a alta tecnologia, a segurança e a robustez desse modelo, que traz retorno garantido nas mais diversas operações de transporte de carga”, assegura o diretor executivo da Volvo Caminhões, Alcides Cavalcanti.

“A engenharia da Volvo não para de desenvolver novas tecnologias em nossos caminhões, para trazer mais segurança, produtividade e economia de combustível aos clientes”, explica o diretor. Para ele, a atualização frequente e os bons resultados operacionais do caminhão são os principais responsáveis pelo sucesso desse modelo junto aos transportadores.

Já o Grupo Potencial e a Scania iniciaram em dezembro de 2023 a operação com o primeiro caminhão movido a biodiesel do País no trajeto entre a Usina de Biodiesel da Companhia, na Lapa, e o Porto de Paranaguá. O veículo do projeto-piloto, fabricado em 2019, recebeu um investimento de R$ 20 mil para ser adaptado, o que permite a redução de 95% na emissão de dióxido de carbono, o principal gás causador do efeito estufa.

Após o projeto-piloto, o grupo empresarial vai investir R$ 26,4 milhões para a compra de 24 novos caminhões flex que funcionarão com biocombustível e diesel comum. Em uma segunda etapa, a intenção é buscar realizar parcerias com as demais montadoras para converter o restante da frota, de 150 caminhões.

“Nosso principal objetivo é reduzir nossa emissão de gases de efeito estufa e trazer a transição energética para o setor de combustíveis. No segundo trimestre já devemos ter mais 24 unidades movidas a biodiesel”, relata o vice-presidente do Grupo Potencial, Carlos Eduardo Hammerschmidt.

MERCADO DE CAMINHÕES – Segundo informações mais recentes da Classificação Nacional de Atividades Econômicas (CNAE) e da Relação Anual de Informações Sociais (RAIS), do Ministério do Trabalho e Emprego, referentes ao final de 2021, o segmento de veículos pesados, que além de caminhões também inclui ônibus, emprega mais de 4,5 mil trabalhadores diretos.

Atualmente, além da Volvo e da DAF, o Estado conta com uma fábrica da Tatrabras, da República Tcheca, em Ponta Grossa. A empresa foi trazida ao Brasil por uma iniciativa do Governo do Paraná em 2020 e atualmente está focada no mercado bélico. As brasileiras Hitech Electric, que atua na construção de caminhões elétricos em Campo Largo, e Mascarello, que fabrica ônibus em Cascavel, completam a lista de grandes empregadores do setor.

Paraná foi o estado que mais cresceu em 2023, aponta Banco Central

MERCADO AUTOMOTIVO – O segmento de veículos pesados de carga reflete um cenário parecido com o mercado geral de automóveis no Brasil, em que o Paraná também possui papel de destaque, como um grande polo produtor e exportador, com empresas como Renault-Nissan, Audi e Volkswagen.

Dados da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) apontam que o número de veículos emplacados no Estado passou de 140 mil em 2022 para 155 mil em 2023, um crescimento de 10,7%, acima da variação nacional, que foi de 9,7% (de 2,1 milhões para 2,3 milhões no período).

Com o volume de licenciamentos, o Paraná foi o terceiro estado com maior participação geral em nível nacional, atrás apenas de São Paulo, com 607 mil emplacamentos, e de Minas Gerais, com 527 mil unidades.

Para 2024, a Anfavea projeta vendas de 2,45 milhões de automóveis no Brasil, uma elevação de 7% sobre 2023. Na divisão por grandes segmentos, espera-se alta de 6,6% para automóveis e comerciais leves, e de 14,1% para veículos pesados.

Exportações paranaenses crescem 13,7% em 2023, melhor desempenho do Sul e Sudeste

EXPORTAÇÕES – Além da fabricação e venda interna no País, dados analisados pelo Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico e Social (Ipardes) revelam que 4.476 caminhões fabricados no Estado em 2022 e 2023 foram exportados para outros países, totalizando cerca de US$ 560 milhões em receita (cerca de R$ 2,7 bilhões na cotação atual). Os principais destinos das vendas internacionais foram os demais países da América do Sul, incluindo Peru, Chile, Argentina, Uruguai e Colômbia.

 

CLIQUE NAS IMAGENS ABAIXO E SAIBA MAIS

 
CLIQUE AQUI E FAÇA SEU PRÉ-CADASTRO
PUBLICIDADE

Fonte: GOIOERÊ | CIDADE PORTAL | AGÊNCIA DE NOTÍCIAS DO PARANÁ - AEN

OPINE!

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização. © 2017. Todos direitos reservados.

Desenvolvido por Cidade Portal