Goioerê, terça-feira, 16 de julho de 2019 ESCOLHA SUA CIDADE
06/04/2019

Salmo 23 de Davi - Pr. Pedro R. Artigas

Salmo 23 de Davi - Pr. Pedro R. Artigas

Salmo 23 de Davi

Pr. Pedro R. Artigas

Estamos no quinto domingo do período chamado Quaresma, e para este domingo quero compartilhar um poema do Rei Davi, que é muito lido, falado e usado. Suas palavras se fossem levadas a sério com certeza teríamos e seríamos muito melhores como família e como cidadãos.

Este salmo reconfortante e pastoral reflete a fé absoluta e a confiança tranquila em Deus. Ele está dividido em duas metáforas, o pastor que começa no versículo 1 e termina no versículo 4, e o anfitrião dos versículos 5 a 6.

Davi para escrever baseia-se em sua própria vida, desde o tempo em que era pastor de ovelhas de seu pai, e as tinha de cuidar, proteger e curá-las quando estavam doentes ou quando tinham sido atacadas por animais ferozes.

No primeiro versículo temos demostrado a confiança de Davi no Deus de seu amor, pois, sua declaração é enfática “O Senhor é o meu pastor e de nada sentirei falta”, ele sabia o que era ser pastor de um pequeno rebanho, mas, ao mesmo tempo ovelha de um rebanho muito maior. Jesus é hoje o bom pastor, foi um passo além de Davi, Ele deu sua vida pelas ovelhas conforme o Evangelho de João capítulo 10, versículo 11: “Eu sou o bom Pastor; o bom Pastor dá a sua vida pelas ovelhas”.Cristo é o Pão da vida, aquele que alimenta, Ele é também a água viva que tira a sede daquele que o procura, quando o buscamos de todo nosso coração, ou melhor de todo nosso entendimento, que podemos traduzir por nossa inteligência, somos agraciados pelo alimento e pela água que nos tira a sede espiritual de bem viver.

Então a restauração diária da alma cansada, ansiosa, é uma necessidade humana muito importante, o apóstolo Paulo em sua carta aos Coríntios capítulo 4, versículo 16, nos ensina que o pastor sabe sarar suas ovelhas, ou seja, o ato de refrigerar. Vejamos o texto do apóstolo: “Por isso não desfalecemos; mas, ainda que o nosso homem exterior se corrompa, o interior, contudo, se renova de dia em dia”. Porque temos o cuidado do Bom Pastor que sabe de nossas necessidades e busca com seu amor nossa restauração interior que se reflete no exterior, é assim que nos renovamos sob a Graça do Pai.

O quarto versículo nos mostra duas atitudes maravilhosas do pastor, a primeira é a proteção. A chave para a proteção é a presença de Deus. Este impressionante pensamento faz com que o salmista mude a maneira de se expressar; de meras afirmações, ele busca o deitar-me para um louvor espontâneo, tu estás comigo. A segunda atitude é saber que nunca sairemos de sua presença pois sua vara e cajado, são para o cuidado de nossas vidas.A vara é para ser usada quando nos distanciamos e precisamos voltar para o caminho, o cajado quando caímos em lugares perigosos e é preciso nos retirar com cuidado, mas com segurança.

No ato de preparar a mesa, é o ato de estar conosco, nunca nos deixando faltar o alimento de sua palavra. O óleo usado para nos ungir, que podemos dividir em dois tipos, o óleo sacerdotal de unção e o óleo oriental perfumado, e o citado no salmo é o segundo, ele demonstra generosidade e excelente hospitalidade.Em Israel antigamente, os pastores usavam o óleo com três propósitos: repelir insetos, evitar conflitos e curar doenças. O óleo era usado nos ferimentos que as ovelhas tinham quando passavam pelos espinhos e quando machucavam os pés nas fendas de pedra, assim também o Senhor nos unge hoje, e nos alivia e consola.

A misericórdia é o infalível e fiel amor da aliança de Deus. Este amor é semelhante a palavra graça. Habitarei na comunhão íntima com Deus, na terra e depois no céu, é o quinhão dos que pertencem a família de Deus, conforme somos ensinados na carta aos  Efésios capítulo 2, versículo 19: “ Assim que já não sois estrangeiros, nem forasteiros, mas concidadãos dos santos, e da família de Deus”. Para que possamos gozar de todos os benefícios descritos neste tão querido poema do Rei Davi, são necessárias duas importantes manifestações de nossa parte, obediência e fé. Se assim procedermos com certeza nada faltará àquele que está em Cristo. Shalom.

Fonte: Pr. Pedro R. Artigas

Pr. Pedro R Artigas

Pr. Pedro R Artigas

Escreve sobre Contato Pastoral

Pedro Rivadavia Artigas 

Pastor Metodista formado em 1985 pelo CEMETRE 

Especializado em Aconselhamento Familiar 

Formado em Técnico Químico em 1969 - Colégio Osvaldo Cruz - SP 

Especialização em Marketing pela ADVB - SP em 1974 

Atualmente aposentado Cultivando Orquídeas

Ler mais notícias

OPINE!

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização. © 2017. Todos direitos reservados. Jornalista Responsável - Jairo Tomazelli - 0011632/PR

Desenvolvido por Cidade Portal