Goioerê, sexta-feira, 13 de dezembro de 2019 ESCOLHA SUA CIDADE
16/03/2019

Ensinar nossos filhos - Pr. Pedro R. Artigas

Ensinar nossos filhos  - Pr. Pedro R. Artigas

Ensinar nossos filhos

Pr. Pedro R. Artigas

 

“Nas trilhas dos perversos existem espinhos e ciladas; quem deseja proteger a própria vida deve afastar-se deles. Ensina a criança no Caminho em que deve andar, e mesmo quando for idoso não se desviará dele!” livro de Provérbios capítulo 5, versículos 5 e 6.

Esta semana que passou tivemos três atentados contra a vida praticados por adolescente e pré-adolescentes, sendo que mais o fatal ocorreu em uma pacata cidade do Estado de São Paulo, onde o índice de violência é muito baixo. O segundo no Rio de Janeiro no bairro de Campo Grande onde um adolescente de 16 anos após discutir com o colega de 15, o atinge com uma faca dentro de uma escola. E o terceiro aconteceu aqui bem perto de nós, em Campo Mourão, uma adolescente leva para a escola uma faca dentro de sua mochila. Segundo a jovem, ela havia se envolvido em uma briga no dia anterior, e levou a arma para se defender e também possivelmente descontar a briga que teve.

Muitos internautas em suas redes sociais, perguntam que País é esse? Onde a violência cresce de forma assustadora. Outros afirmam com todas as letras que isso é culpa do Governo Federal que flexibilizou a compra de armas de fogo. Todos os comentários nas redes sociais, buscam por culpados e por desconhecimento, me desculpem, mas não creio que haja desconhecimento, que o culpado somos nós pais de adolescentes que não educamos desde a tenra idade nossos filhos.

Hoje as famílias vivem em completo isolamento dentro de suas próprias casas, os filhos chegam e entram em seus quartos, transformados em bunkers privativos, onde os pais não têm acesso. E alguns chegam ao cúmulo de chamarem os filhos para as refeições via WhatsApp, e quando reunidos cada um em seu celular não se conversam. E quando eles erram, os culpados são os outros, nunca os filhos.

Desde que os filhos nascem acreditamos que nunca podem ser contrariados, pois quando ficarem adultos terão graves sequelas de trauma que os impedirão de terem convivência “normal”. Que devemos deixar que façam suas escolhas, e sigam os caminhos que escolherem.

Nósfilhos que somos de outra geração, fomos como que catequisados pela doutrina de laissezfaire, laissezaller, laissezpasser, que significa literalmente "deixai fazer, deixai ir, deixai passar, que surgiu na Europa e nos estados Unidos no final do século XVII, para que regule o mercado econômico, mas que infelizmente tornou-se regra para a vida. E ao ensinarmos esses métodos aos filhos esquecemos da doutrina Bíblica que é ensinada no livro de Provérbios: ensina a criança, em outras traduções, educa a criança.

No texto que iniciamos esta crônica temos no versículo 5 o ensino que na trilha do perverso existem espinhos e ciladas, e é esse perverso que vem ensinando os jovens da atualidade, que sem compromisso com nada, faz e age como quer. E os pais sempre o protegem e não o educam. Delegam aos professores, que não são preparados para educar, mas para ensinar o conhecimento que os farão cidadãos íntegros para agirem na sociedade. Cabe a nós pais a educação para a vida, eles sempre se espelharão em nós, sempre procurarão andar em nossos caminhos, daí o ensino precioso do versículo 6: ensina a criança no Caminho em que deve andar. Se nós pais voltarmos a sermos pais, e buscarmos a conversa, o saber como foi a aula, quem são os seus amigos, qual o material que estão carregando em suas mochilas, saber o que fazem no computador da casa que não deve estar fechado no quarto, mas em lugar onde possa ser fiscalizado, pelos pais. Repito, devemos fiscalizar o que nossos filhos fazem no computador. Saber com quem se relacionam nos celulares, não é desconfiança, mas ensino, é cuidado, é amor paternal. E também se adotarmos posturas paternas de ensino não religioso, mas de prática Cristã, com certeza não teremos mais violências como essas que aconteceram e infelizmente continuarão a acontecer enquanto não mudarmos o conceito de ser família.

Esses adolescentes que agem dessa maneira estão em busca de sua afirmação, porque não tiveram parâmetros, e agora buscam pela maneira mais selvagem isso. Nós pais somos os culpados pelas ações de nossos filhos, ninguém mais. Ao deixarmos Deus e seus caminhos de lado para buscarmos a vida mais livre, estamos ensinando essas práticas aos filhos. O próprio Senhor Jesus nos diz qual deve ser nossa regra de vida: “Buscai, assim, em primeiro lugar, o Reino de Deus e a sua justiça, e todas essas coisas vos serão acrescentadas”,  Mateus capítulo 6, versículo 33.

Quando buscamos em primeiro lugar o Reino de Deus, teremos uma casa totalmente diferente, com filhos renovados sob a Graça do Pai. Pense nisto, pois a tragédia está a nossa porta. Como nos diz o apóstolo Pedro em sua Primeira Carta capítulo 5, versículo 8: “Sede sóbrios; vigiai; porque o diabo, vosso adversário, anda em derredor, bramando como leão, buscando a quem possa tragar”. Não permitamos que sejam os nossos filhos. Shalom.

 

 

Cidade Portal - O Seu Portal de Notícias!

Fonte: Pr. Pedro R. Artigas

Pr. Pedro R Artigas

Pr. Pedro R Artigas

Escreve sobre Contato Pastoral

Pedro Rivadavia Artigas 

Pastor Metodista formado em 1985 pelo CEMETRE 

Especializado em Aconselhamento Familiar 

Formado em Técnico Químico em 1969 - Colégio Osvaldo Cruz - SP 

Especialização em Marketing pela ADVB - SP em 1974 

Atualmente aposentado Cultivando Orquídeas

Ler mais notícias

OPINE!

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização. © 2017. Todos direitos reservados. Jornalista Responsável - Jairo Tomazelli - 0011632/PR

Desenvolvido por Cidade Portal