Goioerê, quinta-feira, 18 de abril de 2019 ESCOLHA SUA CIDADE
02/03/2019

E edifiquei uma casa - Pr. Pedro R. Artigas

E edifiquei uma casa - Pr. Pedro R. Artigas

E edifiquei uma casa

Pr. Pedro R. Artigas

 

“Assim confirmou o Senhor a sua palavra que falou; porque me levantei em lugar de Davi, meu pai, e me assentei no trono de Israel, como tem falado o Senhor; e edifiquei uma casa ao nome do Senhor Deus de Israel “. Primeiro Reis capítulo 8, versículo 20. Este textoque apostei acima indica o momento em que Salomão Rei de Israel inicia um dos anseios do povo judeu a construção do Templo.

Desde os tempos de Davi, pai de Salomão, havia o desejo de se ter um lugar para adoração a Deus. Davi sentiu-se animado a construir um santuário, mas Deus disse a ele que não o fizesse.Lemos esse momento no livro de Primeiro Crônicas capítulo 22, versículo 8:“Mas veio a mim esta palavra do Senhor: ‘Você matou muita gente e empreendeu muitas guerras. Por isso você não construirá um templo em honra do meu nome, pois derramou muito sangue na terra, diante de mim”.  Mas Davi deixou para Salomão todo material, todos os detalhes, cortinas, móvel e compartimentos, pois tudo havia sido especificado por Deus e deveria ser seguido pelos construtores. Ao término da construção a alegria foi grande. A população agora tinha um lugar onde podia adorar a Deus, ter um relacionamento próximo com Deus.

Acreditavam que Deus estaria lá em todos os momentos para ouvi-los. Agora os judeus acreditavam que Deus tinha um endereço próprio e que isso facilitaria o contato. Essa mesma atitude dos judeus é a nossa atualmente, acreditamos que Deus tem um endereço fixo, a Casa de Deus, onde nos reunimos semanalmente para cultuá-lo. O povo judeu agora se organiza religiosamente, e nós também o fazemos nos nossos dias.

E como os judeus também construímos lugares majestosos, os adornamos com os melhores materiais, colocamos sacerdotes ali para que eles façam a ligação entre nós e Deus. E como os judeus criamos uma dicotomia. A diferença entre nós e os judeus é que eles construíram um lugar especial o Santo dos Santos, onde somente o sacerdote podia entrar para falar por todo o povo. Hoje criamos os altares, onde também somente aqueles especiais podem ter acesso. E muitos ao ali ascenderem parecem que são tomados por algo sobrenatural e o povo todo assiste quieto. E ele somente ele pode abençoar, afinal ele tem a interação com Deus.

Terminado o ofício do dia vamos para nossas casas, ou para as lanchonetes e restaurantes como se houvéssemos feito a nossa parte nesse culto. Dissociamos Deus de nossas vidas práticas, afinal o visitamos e cumprimos todo ritual. E o sacerdote fez a ligação nossa com Deus.  Adentramos aos limites do sagrado por um tempo, e agora voltamos à nossa vida no profano. Deus está distante de nosso viver diário, Ele continua no Templo, e nós temos nossos afazeres diários e não podemos nos dar ao luxo de procurarmos viver esse lado espiritual todos os momentos.

Esse foi o erro dos judeus e, por conseguinte é nosso erro atual. Precisamos ter em mente que o nosso Deus não habita em templos feitos por mãos de homens, que não adianta construir templos cada vez mais suntuosos, nem termos os melhores cantores e músicos se o nosso coração ali não estiver. Edificamos uma casa a Deus, mas não edificamos um povo cuja prática de fé revele esse amor de Deus ao mundo ao nosso redor.

Não sabeis vós que sois o templo de Deus e que o Espírito de Deus habita em vós? Primeiro Coríntios capítulo 3, versículo 16, aqui está a verdadeira adoração e a plenitude de Deus em nossas vidas. Neste contexto não há dicotomia, mas interação com a vontade Divina. Em outras palavras não é dentro do suntuoso templo que Deus habita, nem tampouco nas mais remotas capelas, nem na eloquência dos pregadores, nem nos rituais mais elaborados, mas Ele habita dentro do mais simples lugar de todo universo, o nosso coração. É ali dentro que Deus vem morar e viver todos os dias e todos momentos. É ali que ouvimos sua voz, sua orientação e é também ali que damos o mais perfeito louvor. Quando nos entregamos por completo a Deus é que vivemos o verdadeiro amor. E quando nos entregamos por completo é que somos reconhecidos por Deus em todos os lugares onde a planta de nossos pés pousarem. Shalom.

Fonte: Pr. Pedro R. Artigas

Pr. Pedro R Artigas

Pr. Pedro R Artigas

Escreve sobre Contato Pastoral

Pedro Rivadavia Artigas 

Pastor Metodista formado em 1985 pelo CEMETRE 

Especializado em Aconselhamento Familiar 

Formado em Técnico Químico em 1969 - Colégio Osvaldo Cruz - SP 

Especialização em Marketing pela ADVB - SP em 1974 

Atualmente aposentado Cultivando Orquídeas

Ler mais notícias

OPINE!

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização. © 2017. Todos direitos reservados. Jornalista Responsável - Jairo Tomazelli - 0011632/PR

Desenvolvido por Cidade Portal