Goioerê, terça-feira, 11 de dezembro de 2018 ESCOLHA SUA CIDADE
21/07/2018

A cura de Naamã - Pr. Pedro R. Artigas

A cura de Naamã  - Pr. Pedro R. Artigas

A cura de Naamã

Pr. Pedro R. Artigas

Igreja Metodista

 

Esta semana estudei no programa Informativo Cristão, na FM Goioerê, a respeito da cura de Naamã, e procurei junto com o Pr. Franco também da Igreja Metodista, enfocar outros aspectos do texto que fogem da leitura e da mensagem tradicional deste que é um dos mais significativos textos do Antigo Testamento. Esta história encontra-se no livro de Segunda Reis capítulo 5.

Sua história fala de um poderoso general do exército sírio que possuía uma doença gravíssima para a época, a lepra, que além de deformar o corpo, podia matar, nos casos mais graves, e manter o doente afastado do convívio social e familiar. Esse general muito querido e vencedor de muitas batalhas e comandante do exército, não podia usar a farda devido a doença. Por esse motivo usava uma túnica que ia aos pés e cobria totalmente o corpo, para esconder a doença. Em uma dessas incursões ele levou cativa uma menina judia para trabalhar em sua casa como escrava de sua esposa. Um dia a menina falou a sua senhora que se o esposo dela fosse à sua terra lá havia um homem de Deus que poderia curá-lo da doença. Naamã pediu permissão ao rei para ir então a Israel, na terra de Samaria para ser curado pelo profeta Eliseu. Levou caríssimos presentes para pagar pela cura. E o profeta simplesmente o manda mergulhar sete vezes no rio Jordão que ficaria curado. Naamã ficou irado, pois achava que o profeta viria e faria poderosa oração a seu Deus, invocaria os céus e após todo esse espetáculo, Naamã voltaria para a Síria livre da doença.

Pois é, esse relato tem muito a haver com nossa conduta nos dias atuais. Vamos a igreja primeiro escondendo nossa doença, depois queremos todo tipo de espetáculo acreditando que ali será resolvido nosso problema, também levamos ricos presentes a Deus, tendo em nossa mente a certeza que os presentes farão Deus resolver nosso problema mais rápido.

Ao esconder nossas lepras, estamos dizendo que não queremos ajuda, nos afastamos de todos que podem de uma maneira ou outra nos indicar o caminho. Naamã ouviu sua esposa e buscou a cura, esse foi o maior ato de sua carreira. Ao ouvir seus escravos na volta, ainda irado pela falta de espetáculo do profeta, ele tem que se despir na frente deles para mergulhar no rio Jordão, e mostrar toda sua doença. Estaremos nós preparados para nos despir e mostrar nossa necessidade de cura? Outro fator interessante é que teria de mergulhar sete vezes, não uma ou duas, e eu creio que cada mergulho curava o general de uma enfermidade, agora aqui não mais a doença, mas sim enfermidade, pois ela nos atinge a alma, a doença atinge o corpo. Podemos dizer que a soberba, o orgulho, e tantas outras enfermidades foram sendo deixadas na água, até o último mergulho, quando então a doença é limpada de seu corpo. Agora fica fácil entender quando Jesus diz lá no Evangelho de João capítulo 3, versículo 5: “respondeu Jesus: digo-lhe a verdade, ninguém pode entrar no Reino de Deus, se não nascer da água e do Espírito”.

Quando nascemos da água, deixamos ali todas as nossas enfermidades, que nos afetam e que o apóstolo Paulo enumera em sua carta aos Gálatas capítulo 5, versículos 19 a  21: “Ora, as obras da carne são conhecidas e são: prostituição, impureza, lascívia, idolatria, feitiçarias, inimizades, porfias, ciúmes, iras, discórdias, dissensões, facções, invejas, bebedices, glutonarias e coisas semelhantes a estas, a respeito das quais eu vos declaro, como já, outrora, vos preveni, que não herdarão o reino de Deus os que tais coisas praticam.

Então a cura de Naamã tem muito mais significado para nossas vidas que o simples entendimento do relato de seus mergulhos no rio Jordão. Precisamos nos mostrar por inteiro, buscar a ajuda e receber a cura. Também não é por fatos miraculosos, ou de grande espetáculo, mas, de modo sutil e as vezes até no silêncio que Deus nos cura. Então se você leitor está necessitando de cura, busque ajuda não no barulho, mas no se descobrir diante do Senhor e mergulhar nas águas da fé contrita, verdadeira e tenha sua cura. Shalon. 

 

Fonte: A cura de Naamã - Pr. Pedro R. Artigas

Pr. Pedro R Artigas

Pr. Pedro R Artigas

Escreve sobre Contato Pastoral

Pedro Rivadavia Artigas 

Pastor Metodista formado em 1985 pelo CEMETRE 

Especializado em Aconselhamento Familiar 

Formado em Técnico Químico em 1969 - Colégio Osvaldo Cruz - SP 

Especialização em Marketing pela ADVB - SP em 1974 

Atualmente aposentado Cultivando Orquídeas

Ler mais notícias

OPINE!

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização. © 2017. Todos direitos reservados. Jornalista Responsável - Jairo Tomazelli - 0011632/PR

Desenvolvido por Cidade Portal